quarta-feira, 11 de abril de 2012

Como jogar RPG com o Sistema +2d6!(Parte 01)




Nesse Nitrovídeo trago o primeiro tutorial de como jogar RPG com o meu sistema de regras +2d6. O Sistema de Regras Genéricas e Customizáveis +2d6 é gratuito e aberto (pode ser usado em projetos pessoais e comerciais livremente) e pode ser baixado no link abaixo:
http://newtonrocha.wordpress.com/sistema-de-rpg-2d6/


NitroDungeon RPG Blog
http://newtonrocha.wordpress.com


O SISTEMA +2D6: REGRAS GENÉRICAS CUSTOMIZÁVEIS!


O +2d6 foi criado com o objetivo de ser um sistema de fácil assimilação pelos jogadores, ser customizável pelo mestre para a aventura que ele quer mestrar, ser livre e gratuito para a criação de aventuras e material por qualquer pessoa, e possuir elementos constantes de diversos sistemas para facilitar a adaptação de material de outros sistemas de RPG.


O +2d6 foi influenciado pelos elementos comuns a diversos sistemas, como GURPS, Savage Worlds, d20, CODA, Tri-Stat, Daemon, 3d&t,d6 system, entre outros. Para facilitar o uso e tornar o sistema mais intuitivo tanto para mestres e jogadores veteranos quanto para novatos, os termos dos elementos do sistema foram escolhidos pela sua familiaridade. É um sistema simples e convencional, mas bem divertido e rápido, além de ser fácil utilizar e adaptar materiais, monstros, aventuras e cenários de outros sistemas.


O sistema de rpg +2d6 é livre e aberto e pode ser usado e modificado (é customizável caray) em projetos pessoais ou comerciais. Esse é o sistema que eu uso atualmente e é doidimais, só necessidando dois dados de 6 faces para ser jogar. Ele pode ser adaptado para qualquer tipo de jogo, fantasia, terror, aventura, etc.


O sistema de RPG +2d6 está totalmente liberado para ser compartilhado como quiserem!


Fonte: http://youtu.be/U9lL488uffE

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Gilgamesh e Enkidu




"E por que meu rosto não haveria de estar encovado e abatido? Trago o desespero em meu coração; meu rosto lembra o de alguém que chega de uma longa jornada e foi queimado pelo calor e pelo frio. Por que não haveria de vagar pelos pastos à procura do vento? Meu amigo, meu irmão mais novo, que caçava o asno selvagem e a pantera das campinas, meu amigo, meu irmão mais novo, que capturou e matou o Touro do Céu e derrubou Humbaba na floresta de cedro, meu amigo, alguém que me era caríssimo e que enfrentou muitos perigos ao meu lado, Enkidu, meu irmão, a quem tanto amava, a morte o alcançou. Chorei por ele durante sete dias e sete noites, até os vermes tomarem-lhe o corpo. Por causa do meu irmão, vagueio pelas matas e pelos campos e não consigo descansar. Mas agora, oh, jovem que prepara o vinho, já que vi tua face, não permita que eu veja a face da morte a quem tanto temo." - Gilgamesh em busca da vida eterna lamentando a morte de seu irmão Enkidu

sábado, 24 de dezembro de 2011

Vida longa e prospera Nesta Natal e Até o Ano que vem



Festeje meu amigo, mesmo sem motivo... 
estamos junto de uma foma ou de outra o Ano todo, 
Vida longa e prospera Nesta Natal e Até o Ano que vem, 
curta o suficiente a virada do ano 
(caso acredite) 
e nos vemos logo após a folia de Reis 
;p


Foto de Thaiane Lima

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Duendes, fantasmas, E.T.s e outras criaturas (um ensaio sobre o Natal)

Eu acredito em Papai Noel!

Pode parecer uma frase estupida, mas é verdade sim, eu acredito em Papai Noel, essa frase soa estranha sendo eu um rapaz que já passei há muito tempo dos meus 20 anos de existência e piora tudo porque eu sou um cara que não gosto de Natal. Mas acredite, isso é uma Balela, eu posso acreditar em Papai Noel (como entidade e/ou arquétipo) e não gostar de Natal (como festa pagã que foi indexada ao cristianismo e hoje em dia só se comemora o ato capitalista da coisa); eu tenho um ódio mortal por maracujá e ninguém nunca me viu falando que eu não acredito que maracujá não existe, no meu quintal estou até montando uma parreira, mas isso vai ser aplicado em outro ensaio sobre tolerância.


O que importa é falarmos sobre fé e tentar explicar a nossa dificuldade contemporânea de vermos coisas fabulosas. Vai ser uma mixer entre esoterismo, física aplicada a ecologia e empirismo, sem muito embasamento, mas mesmo assim muito saboroso. Por que talvez isso te facilite a resgatar seu lado mais sensível. [Nota-1: O Texto ficou um pouco extenso e pouco funcional, mas acho que consegui dissecar de forma criativa nossa falta de fantasia.]

Vamos voltar ao livro de Gênesis “e Deus criou o homem a sua imagem e semelhança”. Há um grande questão nesta frase, pois semelhança a Deus me parece conferir uma parcela de responsabilidade na criação do universo, pois certas coisas só irão existir de acordo com que vocẽ acredite que ela exista (fé) ou não, pessoas que não acreditam no amor nunca serão amadas e é por isso que é tão mortal falarmos que “eu não acredito em F****”, hehehe Vocês acharam que eu iria terminar a frase com a palavra fadas e ser responsável pela morte de uma delas só pra botar algo de útil em sua cabeça tão descrente. Já percebeu como dói quando alguém diz que não acredita que você, que não acredita que você fez aquilo. Acredite em mim, a crença humana é uma das magias mais poderosas que nós possuímos. [Nota-2: O Apocalipse será o dia que Deus parar de Acreditar na gente.]

Vou tentar explicar um pouco melhor com algumas exemplificações o porque não podemos ver ou não conseguimos ver tais seres e mesmo assim eles devem existir. Não poder para mim é sempre mais fácil de explicar, como foi ponderado acima tem uma implicação direta com sua fé e seu poder criativo, talvez isso explique até como os panteões de deuses de diversas culturas seguem um padrão arquétipo semelhante e quando passamos a culturas monoteístas eles são apenas emulados para figuras de santos e anjos, logo, existe uma força espiritual que é a mesma para varias culturas, porém elas apenas aparecem de formas diferentes de acordo com cada cultura. Por isso um elemental na China monta uma serpente alada e no Brasil um Javali (também não faria o menor sentido o animal guia de xamã na África ser um uso polar) mas o fato é que as figuras se repetem, mas elas conseguem apenas se manisfestar não com sua forma real mas apenas de uma forma que seja confortável a nossos olhos e isso não para nos agradar, mas porque é a única forma que conseguiriam se manifestar.

Mas porque não podemos ver? Gostaria de trazer o exemplo dos óvnis, se você quiser pesquisar são cada vez são menos raros as suas aparições e quando há é apenas no interior. Porém acredito que tenham mais óvnis observando nosso comportamento nas grandes cidades do que no interior, mas o problema de vermos tem haver com excesso de iluminação, quanto mais modernas fica nossos aglomerados, o céu noturno fica mais estático, as noites aqui no centro do Rio de Janeiro eu não consigo ver estrela alguma, a não ser que aconteça um apagão, esse fenômeno se chama poluição luminosa e quanto mais uma cidade for iluminada mais o céu se torna escuro. Meu amigo, se numa note normal não conseguimos ver as estrelas que temos a certeza que estão ali, imagina pensarmos em ver objetos que muitos duvidam da sua existência, acho que mesmo se víssemos (a sociedade tem nos deixado tão engessado) que não perceberíamos como tal e daríamos outros significações racionais.

Fantasmas e aparições tem diversas implicações para não serem visto. [Nota-3: que todas essas questões de não percepção, são aplicadas a pessoas normais, por isso pessoas mais sensitivas conseguem ainda ver certas manifestações]. A poluição luminosa e sonora também interfere muito a visualização. Provavelmente essas entidades estão em plano um pouco abaixo da nossa (umbra) e pra serem visto precisam estar em um ambiente mais escuro, o ser humano não consegue ver todas os espectros luminosos, por exemplo não enxergamos a a luz ultravioleta, e certas fontes de luz interferem em outras fontes e nosso excesso de luminescência atrapalha que percebamos tais espectros. Provavelmente a fonte luminosa que são visualizados é abaixo da cor vermelha e o que antes conseguíamos perceber na sombra, agora pela falta dela fica difícil vermos. Outras pessoas falam em ouvir vozes, antigamente eu ouvia essas vozes, mas antigamente não passava um carro de som a cada 3 minutos, antigamente não ficávamos como fone de ouvido o dia todo e logo tínhamos muito menos ruido. Ai voltamos ao confronto empírico que é muito mais fácil ouvir algo que esta no limiar de percepção quase estourando seus tímpanos do que uma voz sussurrante beirando a percepção sub-liminar, ou seja, abaixo do limiar de percepção. Alguns pesquisadores (e eu também) acreditam também que os celulares interfiram no que se refere ao campo vibracional, ondas e mais ondas, mascarando a presença de tais criaturas, esta pesquisa eu li em 2003, agora (em 2011)que temos 3 celulares para cada cidadão o campo de ondas Fm em choque que interfira deve estar enorme. E por ultimo voltamos a base deste ensaio fé e/ou crença um ser que se alimenta do seu medo, não tem a minima chance hoje em dia, o cinema já deu medo o suficiente com Alien o oitavo passageiro, o Iluminado e Ringu. E convenhamos a politica, a policia e o pastor nos botam bem mais medo do que qualquer mulher de branco.

Depois de tanta explicação chegamos aos Duendes, e ele estão aqui pra representar todos nossos amiguinhos elementais ou os que tenham alguma ligação com a natureza sejam fada, caiporas, Qilins. A não percepção deles esta diretamente relacionado a todas problemáticas apontadas no texto: Fé, excesso de modernidade e engessamento bidimensional. Mas no caso destes consigo apontar mais um problemão. Poluição, desmatamento e tudo mais que esta acontecendo com Gaia, quanto mais distanciamos da natureza, mais ela se afasta de nós. Muitos estudiosos do assunto falam que eles estão retornando ao seu plano, pois esta insuportável viver conosco. Seja coerente porque você iria querer assistir a extinção do paraíso, se Dartel esta distante apenas da vontade e desejo.

Eu não sabia que o texto se tornaria tão extenso (me desculpe), mas percebo a mesma problemática se repetindo dia após dia. Lobisomens, Monstros marinhos e amigos invisíveis nos acompanham desde sempre, mas somos obrigado a negar quando entramos em contato com estes seres, primeiramente pelo nossos pais em um sistema mecânicista que é passado de geração em geração e pela sociedade, pois quem vê mula sem cabeça só pode ser Louco. [;P] logo é mais plausível negar e mentir tanto até conseguir mentir a si mesmo.

E finalmente vamos tentar analisar o caso do bom velhinho, Ele esbarra na questões arquetípicas onde um ser se apresenta de formas diferente de acordo com a sociedade, diversas crenças distintas como Horú, Krishna, Mitra tem o dia 25 de Dezembro em comum, logo não podemos negar que esse dia é sagrado de uma forma ou de outra. Porém ele irá esbarrar também no problema da poluição luminosa e sonora para atrapalhar nossa percepção. Provavelmente não verá a morte de Gaia com Bons olhos. E pra piorar ninguém percebera o que não acredita, talvez ele até esteja morto... quantas pessoas será que devem acreditar nele? E quanto devem não acreditar? Faça a media e faça um paralelo com a fada que basta apenas uma pessoa para desintegra-la. Por ultimo lembre que Santa Claus é motivado a abençoar o lar (e não o individuo como se pensa) que tenha praticado o bem e não que seja bom, pois ser bom e não fazer o mau e é mais fácil que praticar o bem a outra pessoa. E seja sincero meu leitor cativo que me acompanhou até aqui, quem é que você conhece que conseguiu nos últimos anos ser assim? Se você conhece pode acreditar que papai noel passou na casa dele, mas se você não consegue acreditar cuidado pois como foi falado desdo começo desta prosa sua falta de fé pode ser extremamente perigoso para o universo...

Por isso você gostando ou não tenha um feliz natal e quando der meia noite tente se concentrar em bons fluidos e boas novas. Medite, desligue o som da televisão e se concentre pois você terá mais chances de ouvir sinos passando por cima da sua casa. [Nota-4: Lembre-se que Papai Noel apenas presenteia com objetos manuais e amuletos, mas nunca com itens de marca]

(Texto de Tiago Malta, todos os direitos quase reservados)

Glossário:

Arquétipo: Modelo pelo qual se faz uma obra material ou intelectual. Para afilosofia é o Modelo ideal, inteligível, do qual se copiou toda coisa sensível: para Platão, a idéia do Bem é o arquétipo de todas as coisas boas da natureza.
Empirismo: é um movimento que acredita nas experiências como únicas (ou principais) formadoras das ideias, discordando, portanto, da noção de ideias inatas. Ele é caracterizado pelo conhecimento adquirida pela percepção.

Dartel: É uma terra nunca visitada por humanos, a que os pequeninos chamam de "último lar'', e que corresponderia a um refúgio para os que desejam abandonar, para sempre, o mundo dos homens.

Gaia: é um conceito filosófico cujo nome vem de Gaia, deusa grega da Terra. É um termo inclusivo para conceitos relativos à natureza da Terra, que é constantemente agredida pela ação humana.

Qilin: é uma criatura encantadora por sua caridade, generosidade e grande respeito à vida. É dito também que só aparece em regiões que são governadas por pessoas benéficas ou virtuosas. É muito difícil a aparição de um Qilin, pois ele só aparece para aqueles que tem respeito à vida o mesmo tanto quanto eles têm

Ringu: um filme de terror de 1998. É uma adaptação para o cinema do livro de mesmo nome, escrito por Koji Suzuki. Serviu de inspiração para o remake The Ring (O Chamado) em 2002.

Subliminar: São estímulos sensoriais que estão abaixo do limiar de percepção e por isso não são percebidos. Especula-se que tais estímulos são percebido de forma subconsciente, porém nada foi comprovado de fato.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Poesia de Abertura dos Dias Amargos - Tiago Malta



Qual o Dem�nio que habita seus olhos?Qual a Besta que te corr�i por dentro?
Come�ou a semana mais longa da Terra
Em meados dela j� come�ou a perder a f� nas pessoas
E comecei a desacreditar na boa forma.

Ter de ficar de fora, sem o tempo
Queria parar...

A Carne � transparente
Mas � f�cil perceber o que nela habita
O mau n�o � voc�
E nem ao menos te pertence
O mau tenta apenas acompanhar o meio.

Dormindo n�o sinto nada mais
� a mesma coisa que morrer
(Blasf�mia)
Eu n�o sei o que � morrer

S� sei que escurece tudo
Desejo apenas que as horas passem
Para que eu possa sair dessa semana

Deixando pra traz o inferno astral
E sem receio ou anseio s� quero que isso acabe.

(15/09/1999 do Quinto caderno da Sabedoria)